Tuesday, October 22, 2013

Re-partido

"Eu vou te amar pra sempre."

Isso é mentira, ao menos esse amor platônico eterno em que o casal invade a 3ª idade com o vigor e a paixão dos anos dourados, mas não existe amor que simplesmente acaba também.

Não me arrisco a achar que conheço as respostas, mas acredito sim no tal "até que a morte os separe", talvez, apenas em uma conotação diferente.

A pior fase de um amor são os episódios finais, acho que quase equivalente aos dois lados... "Também morre quem atira."

Fica aquele sentimento de não sentir nada, talvez até de não saber o que sentir, se não é mais amor... O que seria?

Meu erro foi ter sentenciado de que só se separa o amor em ódio, saudade com rancor, dor com mais uma dose de nostalgia... Mas não é assim que um amor acaba, não quando é amor de verdade, descobri que o fim dos dias não leva tudo daqui, a gente não esquece, nem abandona, quem fez parte de planos infalíveis que falharam.

Restou o carinho, o respeito... O cuidado de não desejar nenhum mal, que apenas viva, deixe viver e quem sabe a vida lhe sorria com um novo velho amor. Quando se perde alguém, se esvai o sentimento por todos os falsos passos do "Vou mudar de vida", quem sabe seja o mesmo destino dessa estrada, quem sabe não dê em nada.

Não se odeia quem amou, quem o diz não conhece o amor.

1 comment

karen acosta said...

lindos os poemas e pensamentos comecei a ler não da pra parar muito bons curti

© pensamentos voam com o vento;
Maira Gall