Monday, July 1, 2013

A estrada.

São anos de caminhada à disposição da intenção do clima, são tantas histórias que ouvimos sobre o vento puro das montanhas que, acredito não ser o único, passamos a vida como mochileiros procurando um porto para atracar o coração.

Toda vitória precisa de uma batalha, todo vencedor precisa da sorte de encontrar alguém que possa vencer, toda boca precisa de motivos pra se calar, algumas coisas são certas e não há quem mude... Mas e o que não há explicação?

Já tive tantos motivos pra pensar que não faz diferença se sentir bem, perdi tempo demais achando que os travesseiros diriam aos anjos que aqui não temos mais motivos pra levantar, entre o sangue dos dedos fica a tinta da caneta e entre os pulmões fica o vazio que ocupa todo meu peito, foi assim que descobri quanto espaço pode ser preenchido pela falta.

Um aperto, um vazio interno que vem de fora, uma metade que falta em alguém inteiro e a dificuldade de respirar pelo cansaço, exausto pensamento que martela o peito.

Me perdi como idiotas parados no meio do caminho procurando a placa de indicação mas eu não vim pra essa vida procurando carona, a estrada tem suas aventuras e por ela passam todo tipo de gente, eu queria apenas o meu canto no acostamento.

1 comment

Jéssica Fogaça said...

Simplesmente perfeito!

© pensamentos voam com o vento;
Maira Gall